09/03/2018 20h03 Cotidiano

Prédios de madeira: futuro anunciado

Os arranha-céus de madeira são uma solução ambiciosa e inovadora para os problemas da urbanização. Não só eles são mais rápido de se construir, como têm pequena geração de CO2 ao se comparar com o método tradicional, que utiliza concreto e aço. Em 2050, a população mundial deverá subir para quase 10 bilhões de pessoas e dois terços de nós viverão nas cidades. O espaço será um elemento de luxo.

Uma resposta pode estar em um material natural que usamos há milênios. Ao longo da história, os edifícios foram feitos de madeira. O fogo destruiu grandes extensões de algumas das grandes cidades do mundo. Mas no início do século XX, chegou a era da fabricação de aço moderna. O aço era forte, poderia ser moldado em qualquer forma e usado para reforçar o concreto. Ele permitiu que os arquitetos construíssem mais do que nunca.

Um estudo mostrou que o uso de madeira para construir um arranha-céus de 125 metros poderia reduzir a geração de CO2 de um edifício em até 75%. A madeira regular não é maleável como o aço ou o concreto, e não é suficientemente forte para construir muito alto. Mas os engenheiros apresentaram uma solução. É chamado de madeira laminada cruzada, ou CLT.

O CLT é leve e é comparável em força ao concreto e ao aço. Mas como ele lida quando queimado com uma alta fonte de calor? O arquiteto de Londres Waugh Thistleton já está projetando edifícios com este novo tipo de madeira.

Notícias Relacionadas

A placa do seu veículo termina com 5 ou 6?

Construção Civil e Concreto Sustentável

Ciclistas ganham cada vez mais espaço em Natal

Lucros na Páscoa superaram 58%

Comentários