13/08/2017 12h08 Cultura & Rolés

Revolução ortopédica

Quem já quebrou punho, braço ou dedos das mãos sabe que até hoje ainda é comum usar uma técnica antiga para resolver a situação: a imobilização com gesso. Entre as lesões ocorridas com brasileiros, 60% são nessas partes do corpo. Apesar da alta ocorrência, o tratamento na maioria das vezes é o mesmo desde o século XIX. No entanto, o gesso coça, esquenta, pesa e fica com mau cheiro. Algo bem desagradável.

 Com o objetivo de diminuir esses desconfortos e facilitar o trabalho de profissionais como enfermeiros, uma equipe multidisciplinar criou, em 2015, a Fix It, uma startup que está reinventando a forma como as pessoas tratam lesões ortopédicas que necessitam de imobilização. Os produtos são fabricados em impressoras 3D, a partir de um biopolímero (plástico) renovável e biodegradável. Logo, eles podem ser molhados ou mergulhados em água tranquilamente. 

A Fix It é uma das 10 empresas selecionadas para fazer parte do programa de aceleração da Braskem, o Braskem Labs. “Estamos felizes por este reconhecimento, isso faz com que a gente acredite ainda mais no nosso potencial e no impacto positivo que queremos causar. Temos muito trabalho pela frente. Esperamos que com o programa a gente melhore a expertise em polímeros e em modos de fabricação em larga escala, nossos principais desafios”, ressalta Neves.

Notícias Relacionadas

Pra ver a banda tocar

Produção de HQs terá curso em Natal

Pro bloco inteiro passar

Beleza pura

Comentários