01/08/2017 00h08 - Atualizado em 01/08/2017 00h08 Na Web

13 Reasons Why

13 Reasons Why, o recente drama da Netflix sobre uma adolescente suicida, fez um grande sucesso quando estreou em março, mas também desencadeou um debate feroz entre críticos, que se dividiam ao falar da representação do suicídio - para alguns foi irresponsável. Agora, uma pesquisa nos Estados Unidos mostra um aumento significativo em buscas relacionadas ao suicídio, depois do lançamento da série. Uma descoberta que, segundo um especialista, confirma um dos seus maiores temores.

A pesquisa foi publicada no Journal of the American Medical Association. John W. Ayers, um Epidemiologista Computacional que trabalha na Universidade Estadual de San Diego liderou a pesquisa depois de saber sobre a controvérsia ao redor da série. Ele descobriu mais de 600 mil notícias e mais de 11 milhões de tweets a respeito de 13 Reasons Why durante as três semanas seguintes ao lançamento. “Havia uma quantidade tremenda de debates acontecendo, todas baseadas em experiências pessoais profundas que não iam para lugar nenhum”, disse Ayers à revista Wired. Ele esperava conseguir entregar alguns dados concretos sobre a influência do seriado.

13 Reasons Why conta a história de uma estudante do ensino médio que deixa uma série de fitas cassete explicando como várias pessoas em sua vida foram responsáveis por seu suicídio. O seriado foi criticado por não seguir asdiretrizes da Organização Mundial de Saúde para representações responsáveis do suicídio, bem como por sua falta de discussão sobre doenças mentais. Os críticos ficaram preocupados que, com esse tratamento do assunto, houvesse uma consequência mais negativa do que positiva para espectadores vulneráveis.

Notícias Relacionadas

Emoji: mais segurança

WA10 FACE / Shutterstock.com">

A internet além do WhatsApp

Jeep celebra as décadas do Rock

Nova série da Netflix promete unir pais e filhos ao som dos Beatles

Comentários