16/10/2017 01h10 RN

Cultivo original

A oferta de ostras durante o período de alta estação e veraneio deverá ter um incremento com a introdução de 1,5 milhão de sementes de ostras no Rio Grande do Norte. Essa é a promessa do Laboratório Primar, o único do Nordeste que produz sementes de ostra para manter os estoques sem extrativismo ou degradação dos bancos naturais. Localizado em Tibau do Sul, o laboratório de Primar é um dos primeiros a reproduzir ostras nativas em escala comercial e é um dos expositores do Espaço Sebrae Torroir na Festa do Boi.

O laboratório tem parceria com o Sebrae, que, através do projeto AquiNordeste, estimulou a reprodução artificial de ostras nativas em escala comercial para abastecer o RN e estados do Nordeste. “Queremos chegar nos próximos seis meses com uma produção de 1,5 milhão de sementes”, estima a proprietária do laboratório, Márcia Kafensztok.

De acordo com o gestor do projeto setorial de Aquicultura do Sebrae-RN, Marcelo Medeiros, metade da produção será adquirida pela Instituição para repasse a 50 ostreicultores atendidos pelo projeto, principalmente nos municípios de Tibau do Sul e Canguaretama, os dois maiores polos produtores do molusco. Os estoques naturais estão cada vez mais frágeis devido à atividade extrativista. A falta de sementes é responsável pela redução da oferta de ostra no mercado e abandono do cultivo por parte dos aquicultores.

Notícias Relacionadas

RN

Fora do sufoco

RN

Perspectiva solar

RN

Oficina de Direção Cinematográfica no SESC em Natal

RN

Testes práticos de direção já começaram

Comentários