16/10/2017 01h10 RN

Cultivo original

A oferta de ostras durante o período de alta estação e veraneio deverá ter um incremento com a introdução de 1,5 milhão de sementes de ostras no Rio Grande do Norte. Essa é a promessa do Laboratório Primar, o único do Nordeste que produz sementes de ostra para manter os estoques sem extrativismo ou degradação dos bancos naturais. Localizado em Tibau do Sul, o laboratório de Primar é um dos primeiros a reproduzir ostras nativas em escala comercial e é um dos expositores do Espaço Sebrae Torroir na Festa do Boi.

O laboratório tem parceria com o Sebrae, que, através do projeto AquiNordeste, estimulou a reprodução artificial de ostras nativas em escala comercial para abastecer o RN e estados do Nordeste. “Queremos chegar nos próximos seis meses com uma produção de 1,5 milhão de sementes”, estima a proprietária do laboratório, Márcia Kafensztok.

De acordo com o gestor do projeto setorial de Aquicultura do Sebrae-RN, Marcelo Medeiros, metade da produção será adquirida pela Instituição para repasse a 50 ostreicultores atendidos pelo projeto, principalmente nos municípios de Tibau do Sul e Canguaretama, os dois maiores polos produtores do molusco. Os estoques naturais estão cada vez mais frágeis devido à atividade extrativista. A falta de sementes é responsável pela redução da oferta de ostra no mercado e abandono do cultivo por parte dos aquicultores.

Notícias Relacionadas

RN

Perspectiva solar

RN

Trânsito em debate

RN

400 vagas de emprego em resort

RN

Blitz educativa no Litoral Sul

Comentários